Leia outros Devocionais...

Buscando a transformação (14/03/2016)

Uma vez Jesus contou a parábola dos talentos (Mateus 25:14-30). Nessa parábola, um senhor deixou seus servos cuidando de seus bens e foi viajar. A um servo ele deu cinco talentos; a outro, dois talentos; e a outro, um talento. Depois um longo tempo, o senhor voltou da viagem e solicitou a prestação de contas aos servos.

Na época, um talento equivalia a seis mil denários, e um denário equivalia a um dia de trabalho, portanto um talento era equivalente a seis mil dias de trabalho, uma grande quantia.

O que tinha cinco talentos conquistou outros cinco negociando e foi reconhecido pelo seu senhor como "servo bom e fiel". O que tinha dois talentos também conquistou outros dois e também foi chamado de "bom e fiel servo". Já o que tinha recebido um talento não negociou e preferiu enterrar para devolvê-lo integralmente ao seu senhor. Este último servo não foi fiel ao trabalho que o senhor havia lhe atribuído, por isso foi chamado de "mau e negligente servo".

Quando Jesus contou essa parábola, Ele estava ensinando os princípios do Reino de Deus. Da mesma forma que aqueles servos, nós recebemos do nosso Senhor habilidades, dons, posses e características ímpares, e devemos ser fiéis ao Senhor como bons mordomos de tudo que recebemos. Precisamos entender que nada é nosso, tudo é do Senhor.

Em 1 Coríntios 4:1-2, está escrito: "Que os homens nos considerem como ministros de Cristo e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se nos despenseiros que cada um se ache fiel". Despenseiros são mordomos, administradores. Portanto, como despenseiros (mordomos) de tudo que Deus confiou a nós, devemos ser fiéis.

Observando a parábola que Jesus contou, concluo que eu tenho uma responsabilidade: ser fiel a Deus. Isso cabe a mim, ninguém pode ser fiel a Deus por mim, não há maneira de terceirizar isso, cabe a mim.

Você tem uma responsabilidade: ser fiel a Deus. Isso cabe a você, ninguém pode ser fiel a Deus por você. Nem o pastor, nem os irmãos, nem seus pais, nem seu cônjuge. Isso cabe a você!

Trate isso com seriedade, porque o Senhor Jesus, semelhantemente ao senhor da parábola, solicitará que prestemos contas dos "talentos" que recebemos. Observe o que Jesus disse na visão dada ao apóstolo João, em Apocalipse 22:12: "E eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras".

Quando Jesus diz "sem demora", significa que não é amanhã ou depois que você deve começar a ser fiel a Deus, é agora, é sem demora. E ainda tenho uma notícia para você: não dá para ser mais ou menos fiel. Somos fiéis a Deus ou somos infiéis a Deus. Não há meio termo.

Ser fiel significa obedecer a Deus em tudo, tu-do! Mas como isso é possível?
A resposta é: precisamos ser como o maior servo que o Pai já teve, seu próprio Filho.

Precisamos imediatamente, urgentemente, apressadamente buscar a transformação da nossa vida em Deus. Não dá mais para falar mal dos outros. Não dá mais para viver com o pecado como se fosse um bichinho de estimação. Não dá mais para ter os pensamentos que tínhamos antes de conhecer a Cristo.
A transformação é urgente!

Mas, espere. Você não vai se transformar sozinho. Está escrito em 1 Pedro 1:13-16: "Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo."

Volte nesses versículos e releia-os prestando atenção na frase "esperai inteiramente na graça". Você tem que buscar a Deus, mas que tem que esperar a transformação inteiramente na graça. Guarde uma frase no seu coração: A busca é minha, mas a transformação é Deus.

Buscar a Deus é sua responsabilidade. Você precisa falar com Ele, pedir para Ele mudar a sua vida. Você precisa confessar suas fraquezas a Ele, falar que você está com muita vontade de pecar, mas que precisa que Ele ajude você a livrar-se do pecado. Isso é buscar. O Senhor não deixará você sem resposta e cumprirá a transformação que Ele já começou em sua vida.

Existem três motivos pelos quais você não está buscando a Deus:
1) Incredulidade: você não busca a Deus porque não acredita verdadeiramente que Ele pode transformar a sua vida.
2) Preguiça: você não busca a Deus porque tem muitos afazeres, porque chega cansado do trabalho. Isso não tem outro nome, é preguiça.
3) Orgulho: você não busca a Deus porque acha que o seu jeito está bom, que você é santo o suficiente para ser salvo. Isso não tem outro nome, é orgulho. O orgulho não nos deixa arrepender, não nos deixa mudar.

Elimine a incredulidade, mate a preguiça e crucifique o orgulho na cruz do Calvário.

Busque a Deus, ore a Deus, leia a Palavra dEle. Ele quer transformar a sua vida.
O buscar é seu, mas o transformar é de Deus.



Leia outros Devocionais...
Cadastre-se gratuitamente para receber novos estudos em seu e-mail

Cadastre-se
Fechar



Quer receber estudos por e-mail?
Sim    Não
Envie um comentário ou pergunta
Escrever      Fechar